FLORIANÓPOLIS / SC - sábado, 22 de setembro de 2018

DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO

UM PROBLEMA COMUM

A doença do refluxo gastroesofágico, também conhecida como esofagite de refluxo, é uma condição muito comum. A sua incidência está aumentando nos últimos anos. Cerca de 5% das pessoas apresentam sintomas diários da doença do refluxo.

A doença do refluxo aumenta com a idade, mas pode ocorrer em qualquer idade, dede recém-nascidos até idosos.

Apesar de ser mais comum nos obesos, também pode ocorrer em pessoas magras.

 

A DOENÇA DO REFLUXO MELHORA OU PIORA COM O TEMPO?

A evolução desta doença depende de vários fatores. De modo geral, a doença do refluxo tende a piorar com o tempo, principalmente se o paciente ganhar peso e não seguir as orientações do tratamento fornecidas pelo seu médico.

Pacientes com doença inicial e sintomas ocasionais poderão ficar assintomáticos por tempo prolongado se seguirem o tratamento adequadamente. Os pacientes que não tratam a doença adequadamente podem apresentar complicações, como úlcera, sangramento e estenose (estreitamento) do esôfago, algumas das quais graves. Em poucos casos, a inflamação crônica pode facilitar o aparecimento do esôfago de Barrett (alteração na mucosa ou revestimento do esôfago), que predispõe ao câncer do esôfago.

 

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico da doença do refluxo é baseado nos sintomas do paciente, mas sempre deve ser confirmado com a realização de exames. O mais importante é a endoscopia digestiva alta. Outros exames, como radiografia, pHmetria e manometria do esôfago e laringoscopia também podem ser importantes em alguns casos.

 

TRATAMENTO

O tratamento adequado da doença do refluxo é importante para evitar prejuízos graves à sua saúde. Se você não fizer o tratamento corretamente, além de poder apresentar sintomas desagradáveis que pioram a sua qualidade de vida, você poderá ter complicações graves com o tempo.