FLORIANÓPOLIS / SC - sexta-feira, 25 de maio de 2018

PROCEDIMENTOS REALIZADOS

 
Cirurgia de Hérnia
A hérnia consiste em uma saída anormal das vísceras do abdome, ou apenas do saco peritoneal, através dos músculos da parede abdominal. O tratamento das hérnias é necessariamente cirúrgico. É uma das cirurgias mais realizadas em todo o mundo. Trata-se de uma cirurgia de médio porte, com baixíssimos índices de complicações pós-cirúrgicas.
  
Retirada de Melanoma
O melanoma maligno é um tumor que geralmente aparece sobre pintas já existentes e que apresentam alguns sinais importantes: assimetria, bordas irregulares, cor e diâmetro. Se você tem uma pinta com três dessas características, procure imediatamente um médico.
  
Cirurgia de retira da Tireóide
A tireóide é uma glândula em forma de borboleta localizada no pescoço, logo abaixo da região conhecida como "pomo de Adão", responsável por produzir importantes hormônios para nosso organismo. Os nódulos tireoidianos, também chamados de bócio nodular, são aumentos localizados na tireóide que podem ter características variadas. De forma geral, a cirurgia de retirada da tireóide é destinada àqueles casos em que há confirmação ou suspeita de malignidade, sinais de compressão ou desconforto no pescoço e os que representam problema estético para o paciente.
  
Vasectomia
A vasectomia é um procedimento cirúrgico que interrompe a circulação dos espermatozóides produzidos pelos testículos e conduzidos através do epidídimo (tubo em forma de novelo que se localiza na parte superior dos testículos) para os canais deferentes que desembocam na uretra. A vasectomia é uma operação muito simples.
 

♦Colecistectomia (retirada da vesícula)

A vesícula biliar pode conter cálculos (pedra) no seu interior, o que implica na retirada do órgão (colecistectomia), pois como complicação poderemos ter a instalação de uma inflamação aguda (colecistite aguda), que se caracteriza como uma patologia (doença) que requer a cirurgia em caráter de urgência.

A colelitíase (pedra na vesícula biliar) pode apresentar sintomatologia extremamente dolorosa, principalmente quando a (o) paciente exagera na ingestão de alimentação com alto teor de gorduras.

 

♦ Doença do Refluxo (DRGE)

Nas pessoas normais, o conteúdo do estômago (comida ou ácido clorídrico) não volta ou reflui para o esôfago com freqüência. Entretanto, nas pessoas com doença do refluxo, o ácido ou a comida do estômago pode voltar para o esôfago ou mesmo para a garganta e boca. Quando o ácido volta para o esôfago ou garganta ele pode causar vários sintomas ou problemas nestas estruturas, como:

- queimadura no esôfago ou no peito (azia, pirose ou esofagite) e dificuldade para engolir alimentos

- refluxo de ácido ou comida para o peito ou garganta

- queimadura na garganta; tosse; garganta irritada; coceira na garanta; rouquidão (laringite)

- asma brônquica ou bronquite

- sangramento e anemia

O QUE CAUSA A DOENÇA DO REFLUXO?

O enfraquecimento de uma válvula (cárdia) que fica entre o esôfago e o estômago permite que o ácido ou comida do estômago volte para o esôfago. A causa do enfraquecimento desta válvula ainda não foi completamente esclarecida.

Para chegar até o estômago, o esôfago passa através de uma abertura no diafragma (músculo que separa o tórax do abdômen). Quando esta abertura é grande, parte do estômago sobe para dentro do tórax, formando a HÉRNIA DE HIATO. Esta hérni enfraquece a válvula e aumenta o refluxo. O fumo, cafeína, álcool e obesidade podem piorar o refluxo.

 

Nas pessoas normais, uma válvula chamada cárdia impede que a comida ou o ácido clorídrico presente no estômago volte ou reflua para o esôfago (Figura 1).

Nos pacientes com doença do refluxo, o ácido ou a comida do estômago pode voltar (refluxo) para o esôfago ou mesmo para a garganta e boca porque esta válvula não funciona bem (Figura 2).

A hérnia de hiato ocorre quando a abertura do diafragma é exagerada e permite que o estômago suba para o tórax. A presença de hérnia facilita o aparecimento da doença do refluxo (Figura 3).