FLORIANÓPOLIS / SC - segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

VASECTOMIA

 

 

 

      

 

 

  
A vasectomia é uma operação muito simples, mas há muitas verdades e mentiras que envolvem este procedimento. Aqui você poderá conferir as principais informações que precisam ser analisadas com cautela antes de se optar pela realização deste procedimento:
 

Vasectomia não causa impotência
A opção deve ser consciente
Questões legais
O procedimento
Pós-operatório
Cuidados extras
Vida sexual
Possibilidade de reversão da vasectomia

 Consentimento informado (necessário preencher, imprimir e reconhecer em Cartório)


Vasectomia não causa impotência
Muitos homens se recusam a fazer vasectomia por acreditarem que ela possa provocar distúrbios de ereção. A vasectomia torna o homem estéril, mas não interfere na produção de hormônios masculinos, nem em seu desempenho sexual.

A opção deve ser consciente
O comum é informar aos homens que a vasectomia deve ser escolhida como procedimento definitivo. A possibilidade de reversão existe, mas não é garantida. A vasectomia é indicada para homens que já possuam filhos e um relacionamento conjugal feliz e estável. Além disso, o homem deve estar seguro de sua decisão. A faixa etária que mais procura esta cirurgia é o homem entre 35 e 45 anos.

Questões legais
De acordo com a lei 9.263, publicada no Diário Oficial da União em agosto de 1997 sobre a regulamentação do planejamento familiar, a vasectomia é indicada para homens acima de 25 anos ou com pelo menos dois filhos vivos, ou nos casos em que a gravidez do cônjuge gere risco de vida.

O procedimento
A vasectomia é uma operação muito simples. Não é necessário sequer estar em jejum. Na sala de cirurgia, é feita uma pequena infiltração local com anestésico e uma pequena incisão em cada lado do saco escrotal. O maior desconforto que o paciente experimenta é quando o médico isola digitalmente os deferentes, canais que levam os espermatozóides do epidídimo para a uretra e anestesia de novo. A seguir, corta-se o deferente, interpõe-se tecido conjuntivo entre os dois pontos para não recanalizar e fecha-se a incisão. O indivíduo está liberado para voltar para casa. Muitos saem do hospital e vão direto para o trabalho sem problema.

Pós-operatório
Pode haver um pouco de dor no local por 3 ou 4 dias após a operação. Um pouco de sangue ou outro líquido pode escorrer pelo corte. A área em volta do corte pode inchar um pouco e a pele poderá ficar levemente azulada ou escurecida.

Recomenda-se colocar uma bolsa de gelo no local da cirurgia por duas horas após o procedimento, evitar carregar peso durante a primeira semana, usar uma cueca mais justa de modo a conter a bolsa escrotal por 4 ou 6 semanas e tomar um analgésico simples como o Paracetamol (Tylenol) para aliviar a dor no período pós-operatório. Em caso de qualquer outra alteração, procure seu médico.

Cuidados extras
Depois de um ou dois meses, quem fez vasectomia deve obrigatoriamente fazer um espermograma, já que a possibilidade de gravidez existe, pois ainda pode haver espermatozóides no esperma.

O paciente poderá voltar a ter relações sexuais tão logo se sinta à vontade para fazê-lo. Entretanto, por pelo menos um ou dois meses deve ser usado outro método preventivo para evitar uma gravidez indesejada. Isso é necessário até que os espermatozóides reservados se esgotem e o teste de contagem seja negativo.

Vida sexual
É um dos grandes tabus associados à vasectomia. O líquido seminal, produzido na próstata e na vesícula seminal, continua sendo eliminado normalmente durante a ejaculação, apenas não apresentando o espermatozóide, que se degenera e é reabsorvido pelo próprio organismo. Com relação à função erétil ou potência sexual, também não há nenhuma influência. Os nervos e vasos responsáveis pela ereção peniana não estão envolvidos durante a cirurgia de vasectomia.

Possibilidade de reversão da vasectomia
Se a reversão for feita três ou quatro anos depois da vasectomia, em 90% dos casos o espermograma é bom e em 70% existe a chance de a mulher engravidar. À medida que o tempo passa, surgem obstruções abaixo do lugar em que foi feita a ligadura, complicando a cirurgia. Reverter significa repermeabilizar os deferentes e, eventualmente, obter espermatozóides. O índice de gravidez, porém, cai com o tempo. Dez anos depois de feita a vasectomia, a probabilidade de gravidez oscila entre 30% e 40%.

 

Consentimento informado: (necessário preencher, imprimir e reconhecer em Cartório)

DECLARAÇÃO

 

 

 

 

Eu, ...................................................................................., ao fim assinado, ......... anos, RG no.................., CPF ..................................., casado com ............................................, ......... anos, RG no ...................., que também assina esse documento, declaro que de livre e espontânea vontade, sem coação, de comum acordo com minha esposa, optei por realizar o procedimento cirúrgico denominado VASECTOMIA, com a finalidade de planejamento familiar, sabendo tratar-se de método de esterilização definitiva e que para atingir o objetivo proposto pela cirurgia, me comprometo a seguir todas as orientações médicas pós-cirurgia, isentando o cirurgião responsável de qualquer insucesso caso assim não proceda.

 

Para tanto, nomeamos o Dr. Pedro de A. Araújo, Médico, CRM-SC 2642, Cirurgião Geral, para a execução do ato cirúrgico acima citado.

 

 

 

Florianópolis,         de                                 de                                     .

 

 

 

 

----------------------------------------                                         ----------------------

              PACIENTE                                                                             ESPOSA

 

 

TESTEMUNHAS: _________________________________

 

 

                               _________________________________