FLORIANÓPOLIS / SC - quinta-feira, 24 de abril de 2014

CIRURGIA DE HÉRNIA

A hérnia consiste em uma saída anormal das vísceras do abdome, ou apenas do saco peritoneal, através dos músculos da parede abdominal. É resultante de uma incapacidade destes músculos em manter o conteúdo visceral da cavidade abdominal em seus locais usuais. A seguir, mais informações:

  
A CIRURGIA DE HÉRNIA é uma das mais realizadas em todo o mundo. Trata-se de uma cirurgia de médio porte, com baixíssimos índices de complicações pós-cirúrgicas. 


Sintomas
Procure assistência médica
Tipos mais freqüentes
Causas
Tratamento


Sintomas 


Quando pequenas, as hérnias podem não apresentar sinais externos além do inchaço na área por ela afetada. No entanto, se a abertura no tecido muscular e a protusão aumentarem, a dor pode ser contínua. Sua tendência é agravar-se com atividades que pressionem a parte inferior do abdome, como esforço para evacuar, tossir, levantar peso ou, ainda, se a pessoa permanecer em pé por período prolongado.

Procure assistência médica


A hérnia pode manifestar-se num momento, desaparecer espontaneamente e voltar a manifestar-se de novo. Às vezes, porém, ficam estranguladas, isto é, as alças intestinais não retornam à posição normal. Quando isso acontece, há um bloqueio da circulação sanguínea na parte do tecido em que ocorreu a protusão. Nesse caso, além da dor, surgem náuseas e vômitos. Na presença desses sintomas, procure imediatamente assistência médica.

Tipos mais freqüentes


Hérnias epigástricas: aparecem na linha média do abdome, como resultado do afastamento dos músculos retos abdominais, dois músculos localizados na parte anterior e central do abdome.

Hérnias umbilicais ou paraumbilicais: aparecem em volta do umbigo e são geralmente causadas pela passagem de alguma alça intestinal através do tecido muscular. Sua incidência é maior nos bebês e podem desaparecer espontaneamente (até os 3 anos de idade, não necessitando de cirurgia nesta faixa etária).

Hérnias inguinais: surgem na virilha (zona de junção entre a coxa e a parte inferior do abdome). Nos homens, podem estender-se até os testículos provocando a hérnia inguinoescrotal. Na grande maioria dos casos, a cirurgia é o único tratamento indicado para esse tipo de patologia.

Toda hérnia inguinal diagnosticada precisa ser operada para evitar complicações como o encarcerramento ou o estrangulamento da hérnia, condições que podem ser graves para o paciente.

Causas 


Podem ser causadas por um defeito congênito (a grande maioria) ou serem adquiridas. Stress, esforço para urinar ou defecar, tosse, levantar objetos pesados, desnutrição e prática de esportes muito intensa têm sido considerados fatores causais por provocarem enfraquecimento e traumatismo dos músculos do abdome. As hérnias ocorrem mais em fumantes, indicando o ato de fumar como um fator que predispõe seu aparecimento.

Tratamento


Em alguns casos o tratamento das hérnias é necessariamente cirúrgico. É uma das cirurgias mais realizadas em todo o mundo. Trata-se de uma cirurgia de médio porte, com baixíssimos índices de complicações pós-cirúrgicas.